Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Governo vai reforçar estoque de camisinhas ao custo de R$ 62,9 mi

Ministério da Saúde anunciou a compra de 360 milhões de preservativos masculinos

Por Hugo Marques Atualizado em 23 Maio 2021, 17h33 - Publicado em 23 Maio 2021, 16h11

O Ministério da Saúde anunciou a compra de 360 milhões de preservativos masculinos, por 62,9 milhões de reais, para distribuição gratuita em todo o território nacional. O contrato é com a empresa estrangeira Guangzhou Double One Latex Products, representada no Brasil pela Equilíbrio Comércio de Produtos Farmacêuticos. A vigência do contrato é para os próximos 12 meses.

No edital para a compra dos produtos, a Saúde justifica que tem aumentado significativamente o quantitativo de preservativos masculinos distribuídos para atender os brasileiros que querem se proteger de doenças como hepatites virais e HIV/Aids e até para o planejamento familiar.

A pandemia teria aumentado a procura. “Observa-se crescimento significativo na demanda desse importante insumo de prevenção”, diz o ministério.

O governo orienta a compra também pelos estados e municípios, “considerando que a demanda nacional é em torno de 1,3 bilhão de unidades” por ano. Um quadro publicado pelo ministério mostra que a demanda nacional por preservativos em 2016 era de 400 milhões de unidades, ou seja, triplicou.

”O Ministério da Saúde é um dos maiores compradores de preservativos masculinos do mundo no âmbito da saúde pública com o objetivo de ofertar gratuitamente à população esse importante insumo de prevenção”, diz o edital.

Continua após a publicidade
Publicidade