Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Governo tenta evitar prejuízo milionário em estatal do sistema elétrico

A Chesf, subsidiária da Eletrobras, pode ser obrigada a pagar 600 milhões de reais numa ação em curso na Justiça de Brasília

Por Robson Bonin Atualizado em 12 abr 2021, 13h49 - Publicado em 12 abr 2021, 13h30

Não bastasse a crise econômica e o impasse no Orçamento, o governo de Jair Bolsonaro atua nos tribunais para evitar que a Chesf, subsidiária da Eletrobras, sofra um tombo de 600 milhões de reais numa ação na Justiça de Brasília.

O grupo Ventos Potiguares, defendido pelo escritório de advocacia do governador Ibaneis Rocha (MDB), cobra a indenização porque a Chesf atrasou a entrega de uma linha de transmissão.

Nas duas vezes em que os desembargadores foram contra o pagamento, eles levaram em conta um documento do Ministério de Minas e Energia que aponta risco de apagão no Nordeste se a quantia for desembolsada.

Os argumentos da AGU, que classifica a quantia como “estratosférica” porque supera até mesmo o total da concessão obtida pela Chesf (cerca de 10 milhões de reais por ano ao longo de 30 anos para escoar a energia gerada pelos empresários), também nortearam a análise.

Continua após a publicidade
Publicidade