Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Gabriel Mascarenhas (interino) Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Governo assina contrato da vacina de Oxford, mas ‘esquece’ de anunciar

Sem alarde e cerimônia, Fiocruz e AstraZeneca firmaram acordo no último dia 8

Por Mariana Muniz Atualizado em 1 out 2020, 11h43 - Publicado em 1 out 2020, 16h34

Importante passo para a produção da vacina que será produzida pela Fiocruz, a assinatura do contrato de encomenda tecnológica — que seria feita em uma cerimônia pública com a presença do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello — quase que passou em branco.

Sem anúncios por parte do governo, Fiocruz e AstraZeneca firmaram, com pouco alarde, o acordo no último dia 8. Uma nota publicada pela assessoria de imprensa da entidade de pesquisa diz que a assinatura foi feita “eletronicamente”.

Interlocutores da Saúde, porém, dizem que o motivo para tamanha discrição foi a coincidência de datas: também no dia 8 foi anunciada uma paralisação nos testes da vacina, após um voluntário apresentar efeitos colaterais. Os testes, vale recordar, já foram retomados e o medicamento tem sido considerado seguro.

Outra parte do contrato, o de transferência de tecnologia, deve ser firmado nos próximos dias.

Continua após a publicidade
Publicidade