Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

General alvo da PF vai discreto a ato pró-Bolsonaro e evita discursar

Paulo Chagas, que foi de boné e óculos escuros na Esplanada, dessa vez passou longe do caminhão de som

Por Evandro Éboli Atualizado em 30 jul 2020, 19h42 - Publicado em 26 Maio 2019, 14h50

O general Paulo Chagas foi ao ato pró-Bolsonaro na Esplanada dos Ministérios na manhã deste domingo, mas preferiu o anonimato, nas suas palavras. De boné e óculos escuros, o militar, que sempre discursa nessas ocasiões, dessa vez evitou subiu num carro de som.

Chagas foi alvo de uma operação da Polícia Federal, em abril, numa ação que investiga disseminação de fake news contra o STF. Um mandado de busca e apreensão, do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo, levou um notebook de sua casa, não devolvido até hoje.

Identificado pelo Radar, ele contou as razões de não subir num caminhão de som dessa vez.

“Não gosto de ficar aparecendo. Não estou em campanha nem nada. Vim anonimamente. Coloquei óculos escuros e chapéu, fiquei longe do carro de som, mas ainda assim algumas pessoas me identificaram e pediram para tirar fotos” – disse o general.

O militar considerou suficiente o número de manifestantes presentes para dar o recado que o governo desejava. A Polícia Militar estimou em cerca de 10 mil pessoas.

 

Continua após a publicidade

Publicidade