Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Fundo Emergencial do coronavírus cobra doações de milionários

Chamado à comunidade filantrópica brasileira será enviado hoje

Por Manoel Schlindwein 23 mar 2020, 13h05

Para quem se perguntava quando os ricaços do país finalmente abririam suas carteiras em apoio às iniciativas de combate à crise sanitária do coronavírus, a resposta chegará nas próximas horas.

O “Fundo Emergencial para a Saúde Coronavírus – Brasil” envia hoje um chamado aos donos do PIB brasileiro a fazerem doações de impacto. Os recursos terão como destino a Fundação Oswaldo Cruz, o Hospital das Clínicas de São Paulo, a Santa Casa de São Paulo e a Comunitas.

A ideia é aplicar os recursos em respiradores, testes para diagnóstico de infecção por coronavírus, equipamentos, materiais e medicamentos.

Para doar acesse: https://www.bsocial.com.br/causa/fundo-emergencial-para-a-saude-coronavirus-brasil

Para doações acima de R$ 50 mil, o doador deve entrar em contato com atendimento@bsocial.com.br

O fundo é resultado da união de três organizações da sociedade civil dedicadas à promoção da cultura de doação. São elas: o Instituto pelo Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS), o Movimento Bem Maior e a BSocial. Dentre os parceiros figuram o Grupo de Institutos, Fundações e Empresas (GIFE), PLKC Advogados, Synergos e Umbigo do Mundo. A gestão financeira do fundo é da SITAWI.

“Todo o apoio é necessário para garantir que a gente consiga cumprir nossa missão e atender a população da melhor forma possível. Ações como essa doação mostram como nossa sociedade é solidária. Assim podemos seguir em frente, sabendo que teremos os recursos para ajudar a salvar vidas” explica Antonio José Rodrigues Pereira, superintendente do Hospital das Clínicas.

Continua após a publicidade
Publicidade