Clique e assine a partir de 8,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Fora do Facebook

O TSE, enfim, começou a fiscalizar os presidenciáveis, especializados em usar e abusar das propagandas eleitorais antecipadas. Um perfil no Facebook proclamando a candidatura de Eduardo Campos foi o primeiro alvo da borduna da Justiça Eleitoral em 2014. Em uma decisão liminar assinada na sexta-feira, o ministro Admar Gonzaga acatou o pedido do Ministério Público […]

Por Da Redação - Atualizado em 31 jul 2020, 04h19 - Publicado em 5 mar 2014, 14h01
eduardo campos face

Propaganda online

O TSE, enfim, começou a fiscalizar os presidenciáveis, especializados em usar e abusar das propagandas eleitorais antecipadas. Um perfil no Facebook proclamando a candidatura de Eduardo Campos foi o primeiro alvo da borduna da Justiça Eleitoral em 2014.

Em uma decisão liminar assinada na sexta-feira, o ministro Admar Gonzaga acatou o pedido do Ministério Público Eleitoral e obrigou o Facebook a retirar do ar, imediatamente, a página Eduardo Campos Presidente.

Os textos do perfil recorrem ao batido tom ufanista e a uma série de clichês para vangloriar Eduardo Campos – coisas como “Há 48 anos atrás, nosso futuro presidente da República nascia”. Alguns foram usados pelo ministro Gonzaga para atestar o óbvio: a propaganda eleitoral descarada.

Sim, mas até agora, a página com cerca de 40 000 seguidores continua acessível na internet.

Continua após a publicidade
Publicidade