Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Flávio Bolsonaro e Pedro Guimarães, os padrinhos do novo chefe do BB

A velha e conhecida indicação política -- tão abominada nos governos do PT -- fez valer a escolha do novo banqueiro do governo

Por Robson Bonin Atualizado em 24 mar 2021, 09h51 - Publicado em 24 mar 2021, 09h30

Jair Bolsonaro, como se sabe, escolheu o diretor do Banco do Brasil Fausto Ribeiro para assumir o comando da instituição no lugar de André Brandão, que pediu demissão na semana passada, como antecipou o Radar.

Ribeiro, que comandava o BB Consórcios, passou na frente de muita gente qualificada e melhor posicionada no banco. Tudo, claro, com um empurrão milagroso da política, desses que costumavam acontecer nos governos do PT.

Segundo interlocutores diretos do Planalto, Ribeiro escalou o comando do banco graças a influência de Flávio Bolsonaro. Seu nome também recebeu verniz de Pedro Guimarães, da Caixa.

Publicidade