Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Expectativa negativa para fusões e aquisições no ano

Recessão, indefinição política e a queda no preço das commodities devem derrubar o movimento de fusões e aquisições no país neste ano. Levantamento feito pela Intralinks mostra que as negociações em fase inicial – nas quais bancos e assessorias já foram contratadas, por exemplo – recuaram 9,1% no primeiro trimestre deste ano frente ao mesmo […]

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 22h50 - Publicado em 4 Maio 2016, 13h00
À espera de mais clareza

Não tá fácil

Recessão, indefinição política e a queda no preço das commodities devem derrubar o movimento de fusões e aquisições no país neste ano.

Levantamento feito pela Intralinks mostra que as negociações em fase inicial – nas quais bancos e assessorias já foram contratadas, por exemplo – recuaram 9,1% no primeiro trimestre deste ano frente ao mesmo período de 2015, considerando toda a América Latina .

Em geral, esses negócios demoram cerca de seis meses para serem concluídos, o que mostra que as perspectivas para 2016 no Brasil, país mais relevante para a região, não são positivas.

“Os desafios da região – economias fracas atingidas pelo colapso das commodities e do petróleo, instabilidade política, corrupção e até mesmo surto de vírus Zika – podem minar as expectativas até dos investidores com olhar mais para o longo prazo”, avalia a consultoria em relatório inédito.

 

Continua após a publicidade
Publicidade