Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

ÁUDIO: Arquivos revelam Dilma em seu estado bruto

Durante gravação de programa de rádio, petista cobra agilidade de assessor: "Você conhece uma pessoa esfolada viva?"

Quase dez anos após a eleição de Dilma Rousseff, alguns arquivos da equipe da campanha petista de 2010 revelam a então “mãe do PAC” em seu estado bruto. Durante a gravação de um programa para o horário eleitoral gratuito no rádio, Dilma, na dúvida sobre uma informação relacionada à educação, ordena que os auxiliares procurem um assessor da Casa Civil: “Acha o diabo do André!”

Pego de surpresa no celular, o então assessor especial André Barbosa vacila ao tirar a dúvida de Dilma, o que é o suficiente para o início das trovoadas: “Pelo amor de Deus, meu querido, você sabe que não gosto assim… Vai lá e me dá o número certinho. Assim, negativo… Você conhece uma pessoa esfolada viva? É você, André. Faz favor, número direito! É meio segundo que eu te dou… Vocês vão cumprir essa porcaria dessa meta?”.

Os arquivos guardam uma série de situações que mostram como a petista recorria diariamente a ministros e assessores do primeiro escalão do governo Lula para obter informações. Era um sistema de consultoria permanente.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Paulo Bandarra

    Nada demais.

    Curtir

  2. Nada demais.

    Curtir