Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Ex-delegado do DOPS vira réu por crimes cometidos durante ditadura

Justiça Federal recebeu denúncia do MPF contra Cláudio Guerra, acusado de incinerar 12 cadáveres

Por Mariana Muniz 24 out 2019, 16h30

A Justiça Federal recebeu a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o ex-delegado do Departamento de Ordem Política e Social (DOPS), Cláudio Antônio Guerra, de 79 anos, pelo crime de ocultação e destruição de 12 cadáveres, entre 1973 e 1975. Com o recebimento, ele passou a ser réu. 

O ex-delegado confessou ter incinerado os corpos em fornos da Usina Cambahyba, em Campos, Norte-Fluminense. Em seu depoimento, Guerra relatou que havia preocupação nos órgãos de informação de que os corpos daqueles que eram eliminados pelo regime acabassem descobertos, movimentando a imprensa nacional e internacional.

Além da condenação pelos crimes praticados, o MPF pede o cancelamento de eventual aposentadoria ou qualquer benefício recebido pelo ex-agente do DOPS. Argumentam que “seu comportamento se desviou da legalidade, afastando princípios que devem nortear o exercício da função pública”. 

Publicidade