Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Empreiteiro do enroladíssimo VLT de Cuiabá doa R$ 100 mil para Witzel

Até hoje, VLT de Cuiabá não foi terminado

Por Da Redação Atualizado em 19 out 2018, 16h33 - Publicado em 19 out 2018, 16h29

Jaime Rotstein, dono da Sondotécnica, doou R$ 100 mil para a campanha de Wilson Witzel (PSC) ao governo do Rio.

Junto com a Planserv, a empreiteira compôs o consórcio responsável pelas obras do VLT de Cuiabá. 

A obra deveria ter sido concluída para a Copa de 2014, mas até hoje não foi concluída.

A obra foi orçada inicialmente em R$ 1,4 bilhão. Mas o consórcio passou a exigir aditivos da ordem de R$ 800 milhões para terminar o VLT.

Com isso, o custo total saltaria para R$ 2,2 bilhões.

Continua após a publicidade

O contrato acabou encerrado em 2016.

Não é só.

Em 2013, a sede do consórcio foi alvo da Polícia Federal na Operação Ararath. 

O MPF apontou que a empreiteira era ligada ao empresário Osvaldo Cabral, suspeito de negociar sentenças através do ex-juiz federal Julier Sebastião da Silva.

reprodução/Reprodução

 

Continua após a publicidade
Publicidade