Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Embaixadas e consulados do Brasil fecham para desinfecção da Covid

Registros de coronavírus vão de seguranças a diplomatas e regras sanitárias dos países forçam suspensão do atendimento presencial

Por Evandro Éboli Atualizado em 21 jan 2021, 21h31 - Publicado em 22 jan 2021, 08h16

Embaixadas e consulados do Brasil no exterior estão sendo fechados temporariamente para desinfecção por ocorrência da Covid.

Desde o final do ano passado, pelo menos 8 embaixadas e 3 consulados mundo afora que tiveram de diplomatas a seguranças infectados, cerraram as portas por pelo menos uma semana.

Nestes dias, as embaixadas do Chile, Líbano e de Botswana estão fechadas.

O mesmo aconteceu com as representações na Tunísia, Rússia, Chipre, Itália e Croácia, que não abriram por 1 semana, em dezembro.

Os consulados em Toronto, no Porto e em Bruxelas também passaram por esse sobressalto.

Pelas regras sanitárias desses países, caso sejam detectados casos do vírus, a desinfecção é obrigatória.

Vários servidores  já estava em teletrabalho, mas há esquemas de revezamento para atendimento ao público.

No Brasil, o Itamaraty tentou voltar com o trabalho presencial dos funcionários, mas as pressões do Sinditamaraty derrubaram a decisão.

Continua após a publicidade
Publicidade