Clique e assine com 88% de desconto
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Em tom de despedida, Dirceu diz a petistas que voltará para a prisão

Cerca de 350 petistas se reuniram na noite de ontem com o ex-ministro de Lula e ex-presidente do partido

Por Evandro Éboli - Atualizado em 16 maio 2019, 14h25 - Publicado em 16 maio 2019, 10h15

José Dirceu se reuniu ontem à noite com cerca de 350 petistas para fazer uma espécie de despedida. Seus últimos embargos na Justiça devem ser julgados ainda esta semana. Pessimista, disse em discurso, com microfone e tudo, que suas chances são muito remotas.

Toda a bancada do PT na Câmara estava presente, além dos senadores. Saíram direto da audiência com o ministro da Educação para um restaurante na Vila Planalto, bairro colado no Congresso e Palácio do Planalto.

Chamado de “nosso comandante” pela ex-senadora Ideli Salvatti, Dirceu atacou o governo Bolsonaro, acha que a esquerda tem culpa por sua eleição e pediu união, que faltou nas eleições de 2018.

O filho Zeca Dirceu levou a neta para estar com o avô; o senador Paulo Rocha (PA) foi o primeiro a discursar e até cantou o trecho de uma canção; o líder na Câmara, Paulo Pimenta, disse que não iria cantar pois só conhece canções de Fagner, “que virou golpista”. O compositor cearense apoiou Bolsonaro.

Publicidade

Cada um pagou sua conta.

Publicidade