Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Governo estica a corda para que a população vá para a rua, diz Maia

A governadores, presidente da Câmara reclamou de demora do governo em enviar MP sobre ajuda a desempregados e avisou que Congresso vai atuar

Por Robson Bonin - Atualizado em 25 mar 2020, 19h12 - Publicado em 25 mar 2020, 18h28

Na reunião de governadores em torno de medidas para a condução do país nessa crise do coronavírus, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, antecipou o que o Congresso fará nos próximos dias para socorrer os brasileiros nessa guerra contra o coronavírus.

Maia disse que é preciso garantir emprego e renda dos mais pobres no curto prazo e que os governadores precisam sair desse enfrentamento com Bolsonaro sobre o isolamento domiciliar. “Temos que saber equilibrar vidas com empregos”, disse. “Vamos votar o projeto da renda mínima, com assistência para os menos favorecidos. Vamos colocar um valor até maior do que o mandado pelo governo. Os mais vulneráveis precisam de um valor maior”, disse Maia.

Ouça a fala de Maia aos governadores.

O presidente cobrou rapidez do Planalto, perante os governadores, na edição de uma medida provisória que regulamente o pagamento de seguro-desemprego durante a suspensão do contrato de trabalho por causa do coronavírus.

Continua após a publicidade

“Entre hoje e amanhã, o governo vai editar a medida provisória da suspensão do trabalho vinculado ao seguro-desemprego. Se demorar, a gente avisou que o Congresso iria legislar porque não dá para deixar esse assunto sem uma solução”, disse Maia.

Para o presidente da Câmara, “fica parecendo que o governo está esticando a corda para que a população vá para a rua, estimulando um estado de maior pânico em relação aos próximos passos da crise”.

Publicidade