Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Em campanha

Que Mozarildo Cavalcanti usa e abusa da tribuna do Senado para exaltar a comunidade maçônica, e se orgulha disso, já se sabe. Mas hoje ele foi além. Aproveitou a TV Senado para encaixar no discurso – o conteúdo era uma homenagem a um falecido colega maçom – que era candidato a grão-mestre geral, o equivalente […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 07h18 - Publicado em 30 nov 2012, 19h37

Mozarildo: tribuna como palanque

Que Mozarildo Cavalcanti usa e abusa da tribuna do Senado para exaltar a comunidade maçônica, e se orgulha disso, já se sabe. Mas hoje ele foi além. Aproveitou a TV Senado para encaixar no discurso – o conteúdo era uma homenagem a um falecido colega maçom – que era candidato a grão-mestre geral, o equivalente ao cargo de presidente da República na instituição, como ele mesmo explicou.

Prosseguindo, anunciou o mês em que ocorrerá o pleito, o número de chapas inscritas e o que espera da disputa. E, claro, fez campanha. Por que não? O fato de estar num espaço público, como parlamentar representante de seu estado não o inibiu de dar seu recado à comunidade maçônica de todo o país e até cumprimentar seu vice, como se estivesse num horário eleitoral.

– Queremos fazer com que a Maçonaria volte a ser uma instituição que possa estar, como esteve lá no início do nosso país, com a Independência, a Proclamação da República e a abolição da escravatura. Que nós possamos ser agentes atuantes, agir inclusive de maneira moderna, como exige o século XXI, e que nós possamos de fato, qualquer que seja o vencedor.

Para piorar um pouco a confusão entre público e privado, a Agência Senado deu uma forcinha ao candidato. Publicou uma matéria sobre o discurso, em que anunciou que Mozarildo estava concorrendo.

Continua após a publicidade
Publicidade