Clique e assine a partir de 8,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Doria quer se unir a Huck: ‘Centro democrático deve caminhar junto’

Em conversa com FH, governador de São Paulo defendeu ‘convergência democrática longe dos extremos’

Por Robson Bonin - Atualizado em 4 fev 2020, 12h07 - Publicado em 4 fev 2020, 11h48

Comandante do PSDB e potencial candidato ao Planalto em 2022, João Doria se reuniu com Fernando Henrique Cardoso nesta terça. A conversa, nas palavras de Doria, foi “boa e bem-humorada”.

O governador de São Paulo, a despeito dos resultados colhidos na gestão do maior estado do país, vinha recebendo tratamento, digamos, menos amistoso de FH no ninho tucano.

Para ficar em dois exemplos, o ex-presidente distribuiu recentemente elogios ao governador tucano do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, um suposto presidenciável, na visão dele, e também visitou o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), para falar de um plano para o país. Tudo enquanto navegava, claro, na canoa de Luciano Huck.

A conversa dessa terça, como descreve Doria, serviu para colocar a bola no chão, incluindo, da parte do governador, um aceno a Huck, outro que flerta com uma candidatura ao Planalto.

“Defendemos que o centro democrático deve caminhar junto. Huck, eu e quem mais desejar fazer parte desta convergência democrática. Que aspira um Brasil melhor, mais justo e próspero. Mas longe dos extremos”, diz Doria sobre a conversa com FH.

Continua após a publicidade
Publicidade