Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Após auxilio fora do teto, auxiliares de Guedes pedem demissão

Bruno Funchal, do Tesouro e Orçamento, e Jeferson Bitterncourt, do Tesouro Nacional entregaram os cargos

Por Gustavo Maia Atualizado em 21 out 2021, 18h19 - Publicado em 21 out 2021, 18h15

A debandada prometida no Ministério da Economia em meio à crise para viabilizar o Auxílio Brasil de 400 reais aconteceu. A pasta acabou de informar que o secretário especial do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, e o secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, pediram demissão ao ministro Paulo Guedes, que ontem falou em “licença para gastar” fora do teto.

Os secretários-adjuntos das duas pastas também pediram exoneração. Segundo o ministério, a razão dos quatro foram pessoais e foram feitos “de modo a permitir que haja um processo de transição e de continuidade de todos os compromissos”.

Eis a nota divulgada pelo Ministério da Economia, há pouco:

“O secretário especial do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, e o secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, pediram exoneração de seus cargos ao ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta quinta-feira (21/10).

A decisão de ambos é de ordem pessoal. Funchal e Bittencourt agradecem ao ministro pela oportunidade de terem contribuído para avanços institucionais importantes e para o processo de consolidação fiscal do país.

A secretária especial adjunta do Tesouro e Orçamento, Gildenora Dantas, e o secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Rafael Araujo, também pediram exoneração de seus cargos, por razões pessoais.

Os pedidos foram feitos de modo a permitir que haja um processo de transição e de continuidade de todos os compromissos, tanto da Seto quanto da STN.”

Continua após a publicidade

Publicidade