Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Dilma veta

Renan Calheiros e seus liderados do PMDB vão tentar atormentar a vida de Dilma Rousseff no Senado. Renan apresentou recentemente uma lista de indicados a cargos no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Depois de uma breve olhada na escalação, Dilma vetou os apadrinhados de Renan. Como não poderia deixar de ser, o peemedebista mandou […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 08h48 - Publicado em 23 Maio 2012, 13h50

Ameaças ao Planalto

Renan Calheiros e seus liderados do PMDB vão tentar atormentar a vida de Dilma Rousseff no Senado. Renan apresentou recentemente uma lista de indicados a cargos no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Depois de uma breve olhada na escalação, Dilma vetou os apadrinhados de Renan. Como não poderia deixar de ser, o peemedebista mandou recados ao palácio: vai haver retaliação.

E qual será a oportunidade para a vingança? A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado sabatinou nesta manhã três indicados por Dilma para cargos estratégicos do Cade.

Os senadores aprovaram a recondução de Alessandro Serafin Octaviani Luis para o cargo de conselheiro e as indicações de Carlos Ragazzo para o cargo de superintendente-geral e de Vinícius Marques de Carvalho para a presidência do Cade.

Se depender do pessoal de Renan, um desses indicados (ou o trio) será “premiado” com a rejeição no plenário. As indicações, aprovadas na CAE, dependem agora de um acordo de líderes para serem votadas, o que pode acontecer ainda hoje. Diz um integrante da cúpula peemedebista:

— O Renan está enlouquecido. Essa votação do Cade vai ser uma nova ANTT.

O peemedebista se refere ao episódio do veto à recondução de Bernardo Figueiredo na Agência Nacional de Transportes Terrestres.

O “homem do trem-bala”, um dos queridinhos de Dilma, foi degolado pelo Senado em uma operação patrocinada por Renan, que vingou-se do Planalto depois de ter um apadrinhado vetado por Dilma no órgão (leia mais em Por que Dilma foi derrotada).

Continua após a publicidade
Publicidade