Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Dilma sobre condenação de Lula: ‘iremos resistir’

'Lula é inocente. E o povo brasileiro saberá democraticamente resgatá-lo em 2018'

Por Ernesto Neves Atualizado em 12 jul 2017, 17h08 - Publicado em 12 jul 2017, 16h56

A ex-presidente Dilma Rousseff afirmou que a condenação de Lula a 9 anos e 6 meses de prisão é um “escárnio”.

Dilma diz ainda que a sentença do juiz Sergio Moro é um “absurdo jurídico que envergonha o Brasil”.

A ex-presidente afirma que Lula será resgatado pelas urnas nas eleições de 2018 e afirma que o “país não pode aceitar mais este passo na direção do Estado de exceção”.

Leia a íntegra da nota de Dilma Rousseff:

A condenação de Luiz Inácio Lula da Silva, sem provas, a 9 anos e seis meses de prisão, é um escárnio. Uma flagrante injustiça e um absurdo jurídico que envergonham o Brasil. Lula é inocente e essa condenação fere profundamente a democracia.

Continua após a publicidade

Sem provas, cumprem o roteiro pautado por setores da grande imprensa. Há anos, Lula, o presidente da República mais popular na história do País e um dos mais importantes estadistas do mundo no século 21, vem sofrendo uma perseguição sem quartel.

Ontem, com indignação, assistimos à aprovação pelo Senado do fim da CLT. Uma monumental perda para os trabalhadores brasileiros.

Agora, assistimos a essa ignominia que está sendo exercida contra o ex-presidente Lula com o objetivo de cassar seus direitos políticos.

O País não pode aceitar mais este passo na direção do Estado de Exceção. As garras dos golpistas tentam rasgar a história de um herói do povo brasileiro. Não conseguirão.

Lula é inocente. E o povo brasileiro saberá democraticamente resgatá-lo em 2018.

Nós iremos resistir”.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade