Clique e assine a partir de 8,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Destinos preferidos dos deputados “viajandões”: Nova York, Roma, Lisboa…

Parlamentares fazem "upgrade" com recurso público para viajarem de classe executiva

Por Evandro Éboli, Pedro Carvalho - Atualizado em 8 jan 2020, 09h05 - Publicado em 8 jan 2020, 08h05

Os destinos mais procurados pelos deputados para eventos em 2019 estão também entre os favoritos dos cidadãos que gostam de viajar mundo afora. A diferença é quem paga a conta.

Nova York aparece disparada como a metrópole mais cobiçada. Das 365 viagens em missões oficiais, 48 foram para NY. Na sequência aparecem: Roma (26), Lisboa (24), Genebra (20) e Madri (16), Ao todo, 92 cidades de cinco continentes receberam os parlamentares brasileiros.

Nessas viagens, muitos querem o conforto da classe executiva ou da primeira classe do avião, quando a aeronave oferece esse tipo de assento. Mas a Câmara, quando autoriza a viagem de algum parlamentar para um evento, disponibiliza a econômica.

O viajante informa então que irá usa a cota parlamentar a que tem direito todo mês para fazer o “upgrade” para a classe executiva. Ou “usa a cota para custear a diferença para escolha de voo de sua preferência”.

Esse expediente é aceito pela Câmara. Vários deputados fizeram uso, como o líder a da bancada ruralista, Alceu Moreira (MDB-RS), que usou saldo de sua cota para custear a diferença de tarifas entre o voo sugerido pela Câmara o voo escolhido pelo parlamentar para uma viagem ao Oriente Médio.

Continua após a publicidade
Publicidade