Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Deputados que votaram contra fundo eleitoral se viram nessa campanha

No PP, por exemplo, deputado que votou a favor recebe mais de 3 milhões para ajudar em campanhas; quem votou contra, não tem direito a 1 centavo

Por Evandro Éboli Atualizado em 13 out 2020, 08h55 - Publicado em 13 out 2020, 14h23

Quem se lembra dessa história? Deputados que votaram contra o fundo eleitoral no Congresso Nacional se recusaram, durante a aprovação dessa matéria, a fazer uso desse recurso nas campanhas.

Agora, sem acesso a esse dinheiro, esses parlamentares estão se virando para repassar dinheiro para seus aliados nas suas bases eleitorais.

É o caso, por exemplo, do deputado Jerônimo Goergen (PP-RS). Seu partido, como sabido o deixou à míngua.

“Os candidatos que eu apoio não terão dinheiro com esta origem para usarem nas campanhas. Então temos que fazer o que está ao nosso alcance e que exige apenas boa vontade e dedicação pessoal como por exemplo gravar vídeos para enviar a candidatos a prefeito, vice e vereador. Já estou chegando a 900 editados”, disse Goergen.

Para ele, como se trata de dinheiro público, é que a divisão desse bolo, que é dinheiro público, fosse igual.

“Mas não. Os que votaram favoravelmente a criação do financiamento público no nosso partido terão até 3 milhões e 600 mil para indicar a quem bem entenderem e assim fidelizar cabos eleitorais com o dinheiro do cidadão em meio a uma pandemia”.

 

Continua após a publicidade
Publicidade