Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Deputado federal vai à Justiça para adiar realização do Enem

Parlamentar alega que a manutenção da data da prova prejudica os alunos mais pobres, que estão sem acesso às aulas online

Por Maria Clara Vieira - 7 abr 2020, 12h31

O deputado federal Idilvan Alencar (PDT-CE) entrou na noite desta segunda-feira com uma Ação Popular na Vara Federal Cível da Seção Judiciária do Distrito Federal solicitando o adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) por conta da pandemia de coronavírus.

O argumento do parlamentar é que a manutenção da data da prova conforme anunciada pelo Ministério da Educação (MEC) fere o princípio de isonomia ao prejudicar os alunos mais pobres, que estão sem acesso às aulas online.

“Em tempos de crise de saúde pública, implementar a qualquer custo o mecanismo exclusivo de acesso à educação superior no país, como se já não houvesse um privilégio dos estudantes de escolas privadas, urbanas e de regiões mais industrializadas, é desconsiderar a objetividade do triste cenário de elitização da ascensão às universidades”, afirma o deputado.
Na última sexta-feira, o Supremo Tribunal Federal (STF) indeferiu o pedido feito pelo PDT para que a realização do exame fosse adiada. O ministro Luiz Fux levou em consideração um aspecto processual, e considerou a ação inviável por entender que existem outros meios eficazes para a resolução da controvérsia, como o mandado de segurança.

Publicidade