Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Depois do cartão vermelho, saída de Waldery é avaliada por Paulo Guedes

Secretário Especial de Fazenda teria longa lista de desgastes na Economia, o que torna sua situação delicada no governo

Por Robson Bonin - Atualizado em 15 set 2020, 18h54 - Publicado em 15 set 2020, 17h48

Secretário Especial de Fazenda no Ministério da Economia, Waldery Rodrigues está por um fio no governo. Fontes da equipe econômica confirmaram há pouco ao Radar que o ministro Paulo Guedes avalia a saída do auxiliar no cargo.

Uma fonte importante da pasta de Guedes diz que a crise aberta com Jair Bolsonaro por causa das declarações do secretário sobre o congelamento de aposentadorias é apenas um dos tantos episódios problemáticos criados por Waldery.

ASSINE VEJA

Covid-19 no Brasil: o pior já passou Leia nesta edição: Queda na curva de mortes mostra sinais de alívio na pandemia. E mais: por que o futuro político de Lula está nas mãos de Bolsonaro
Clique e Assine

Nesta manhã, Guedes e o próprio secretário tiveram uma dura reunião com Bolsonaro. O presidente, no entanto, não pediu a cabeça de Waldery. Deixou a decisão nas mãos do chefe da Economia.

Se for exonerado por Guedes, será pelo “conjunto da obra”. “A falta de habilidade de comunicação dele e de interlocução interna, com a própria equipe e entre os outros ministérios, já vinha acumulando bastante desgaste para o ministro”, diz uma fonte da pasta. “A decisão (sobre demitir ou não) é do PG”, complementa.

 

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade