Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Depois de fechar fronteiras, governo vai melhorar comunicação na região

Objetivo é troca de informações entre agentes de segurança nos estados que fazem divisas com outros países

Por Evandro Éboli Atualizado em 19 mar 2020, 18h52 - Publicado em 19 mar 2020, 18h40

O Brasil fechou a fronteira com os países vizinhos e decidiu também unificar o sistema de comunicação entre agentes de segurança entre os estados brasileiros que estão nesta faixa.

O governo irá integrar esse na faixa de fronteira do país e nas divisas. É um sistema que já existe entre alguns estados – Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Paraná, Amazonas e Acre – e também nas divisas de Goiás e Tocantins.

O objetivo é, até o final do ano, esse sistema cubra todos os 11 estados com fronteira no país.

A ideia é integrar a comunicação na fronteira do Brasil. O projeto é uma parceria do Ministério da Justiça com o Exército e terá o custo de R$ 55 milhões.

Essa parceria envolve equipamento e capacitação de equipes.

Nesta sexta, será assinado um Acordo de Cooperação Técnica entre a Secretaria de Operações Integradas, ligada ao Ministério da Justiça e Segurança Pública,  e o Comando de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército.

O coordenador geral de fronteiras do Ministério da Justiça, Eduardo Bettini, afirma que o acordo é um grande passo para o desenvolvimento das capacidades operacionais das instituições que atuam de maneira integrada, no âmbito do Programa de Segurança Nacional de Fronteiras e Divisas (Vigia).

Essa ampliação vai se dar pelo aporte e manutenção de equipamentos, capacitações de recursos humanos, apoio operacional e logístico, além do custeio desse sistema de comunicação do Vigia.

Continua após a publicidade

Publicidade