Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Depois de anúncio de Doria, Queiroga adverte para risco de faltar vacina

O Ministério da Saúde advertiu Estados e municípios em nota oficial divulgada há pouco

Por Gustavo Maia Atualizado em 1 set 2021, 17h46 - Publicado em 1 set 2021, 15h59

Horas depois de o governo de João Doria anunciar que as doses de reforço da vacina contra a Covid-19 para pessoas com mais de 90 anos  em São Paulo começarão a ser aplicadas a partir da próxima segunda-feira, o Ministério da Saúde divulgou há pouco uma nota na qual “adverte” que não “garantirá” o envio de imunizantes para os Estados e municípios que adotarem esquemas diferentes do plano nacional.

A “ameaça” se justifica, segundo a nota divulgada pela pasta comandada pelo ministro Marcelo Queiroga, pelo risco de que as alterações influenciem na segurança e eficácia das vacinas, e na possibilidade de que faltem doses no Plano Nacional de Vacinação.

Leia a seguir a íntegra da nota oficial:

O Ministério da Saúde adverte que não garantirá doses para os Estados e municípios que adotarem esquemas vacinais diferentes do que foi definido pelos representantes da União, Estados e municípios no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, como anunciado anteriormente pela pasta.

As decisões sobre a aplicação das doses de reforço para idosos e a adicional para imunossuprimidos, redução de intervalo entre as doses, intercambialidade de vacinas, vacinação de gestantes e adolescentes, entre outras, são baseadas em evidências científicas, ampla discussão entre especialistas, cenário epidemiológico, população-alvo, disponibilidade de doses e autorização de órgãos regulatórios, como a Anvisa.

Essas alterações nas recomendações do PNO podem influenciar na segurança e eficácia das vacinas na população e podem ainda acarretar a falta de doses do Plano Nacional de Vacinação para completar o esquema vacinal na população brasileira.

Continua após a publicidade
Publicidade