Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Demissão de chefe da Receita implode discurso pró-CPMF

Receita passa por crise e enfrenta questionamentos até mesmo dentro do governo

Por Robson Bonin - Atualizado em 11 set 2019, 15h51 - Publicado em 11 set 2019, 15h49

O chefe da Receita, Marcos Cintra, caiu nesta quarta-feira, após defender a criação de uma nova CPMF.

A proposta contraria o que o presidente Jair Bolsonaro, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e todo o universo político fora da equipe econômica, pregaram na campanha.

Em tempo, Paulo Guedes também defende a recriação da CPMF. O discurso deve mudar. Leia a nota do governo:

“O Ministério da Economia comunica o pedido de exoneração do secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra. Esclarece ainda que não há um projeto de reforma tributária finalizado. A equipe econômica trabalha na formulação de um novo regime tributário para corrigir distorções, simplificar normas, reduzir custos, aliviar a carga tributária sobre as famílias e desonerar a folha de pagamento. A proposta somente será divulgada depois do aval do ministro Paulo Guedes e do presidente da República, Jair Bolsonaro. O ministro Paulo Guedes agradece ao secretário Marcos Cintra pelos serviços prestados. O auditor fiscal José de Assis Ferraz Neto assume interinamente o cargo.”

Publicidade