Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Defesa de executivos da Vale comemora laudo espanhol sobre desastre

Universidade Politécnica da Catalunha concluiu que o desastre em Minas Gerais ocorreu por falha humana, mas não dos executivos da companhia

Por Robson Bonin Atualizado em 12 out 2021, 14h27 - Publicado em 12 out 2021, 17h30

Escolhida pelo MPF para apurar as causas do rompimento da barragem de Brumadinho, a Universidade Politécnica da Catalunha concluiu que o desastre em Minas Gerais ocorreu por falha humana.

Um serviço de perfuração realizado por uma empresa terceirizada no dia do rompimento, que visava à instalação de aparelhos mais modernos de medição do nível de água (piezômetros multi-níveis) e à coleta de amostras da barragem, foi a causa da tragédia, segundo a perícia.

Segundo o laudo, o procedimento, que se valeu de uma tecnologia que utilizava água, foi o gatilho responsável pela liquefação e rompimento da estrutura, que ocorreu “sem quaisquer sinais aparentes de perigo antes da ruptura” e sem que houvesse “nenhum alerta no sistema de monitoramento”.

O laudo também afasta a ideia de que o rompimento teria sido causado por outros fatores, a exemplo do incidente ocorrido na instalação de um dreno, em junho de 2018.

Em outras, palavras, aos olhos da defesa da cúpula da Vale, o material espanhol esvaziou a denúncia do MPF ao descartar negligência dos executivos no caso.

Continua após a publicidade

Publicidade