Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Defesa de Cabral reclama de Bretas e pede absolvição

Operação Hic et Ubique

Por Ernesto Neves Atualizado em 7 ago 2018, 17h18 - Publicado em 7 ago 2018, 16h03

A defesa do ex-governador Sérgio Cabral entregou nesta terça (7) as alegações finais da ação decorrente da Operação Hic et Ubique, que o investiga por corrupção e lavagem de  dinheiro e levou à prisão dos doleiros Vinicius Claret, o Juca Bala, e Claudio Souza.

Segundo os advogados, ação não deveria ser julgada pelo juiz Marcelo Bretas. Isso porque Bretas, segundo a defesa, “está contaminado por uma ideia fixa e preconcebida” sobre Cabral.

“Para ele, o juiz, Sérgio Cabral tencionava legalizar os seus ativos com transferências de dinheiro a terceiros, pagamento de despesas pessoais e até com aquisição de joias com alto valor de mercado da empresa H. Stern (mesma de que trata este processo) e outras” escreveram os advogados.

Ainda de acordo com os advogados, toda a ação penal está baseada em delações que, dizem, carecem de provas.

“… pede-se o acolhimento da preliminar de mérito acima enunciada na forma em que postulada, ou, a absolvição do defendendo de toda a imputação que se lhe fez, ante a manifesta precariedade das provas apresentadas”, concluíram, no documento.

Continua após a publicidade

Publicidade