Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Decotelli entrega carta de demissão a Bolsonaro

Radar antecipou nesta segunda que Jair Bolsonaro havia decidido não nomear o auxiliar para o cargo

Por Robson Bonin - Atualizado em 30 Jun 2020, 16h32 - Publicado em 30 Jun 2020, 16h17

Depois de uma sequência devastadora de revelações sobre falsificações no seu currículo acadêmico, o ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, entregou há pouco a carta de demissão ao presidente Jair Bolsonaro.

O Radar revelou nesta segunda que o presidente havia decidido não nomear Decotelli para a cadeira de Abraham Weintraub no MEC.

“O presidente já procura um novo nome para o ministério. Infelizmente, a avaliação é de que não há como seguir com Decotelli. Se mente no currículo, pode mentir em tudo. Confiança é algo crucial”, disse ontem ao Radar um dos principais auxiliares do governo.

ASSINE VEJA

Wassef: ‘Fiz para proteger o presidente’ Leia nesta edição: entrevista exclusiva com o advogado que escondeu Fabrício Queiroz, a estabilização no número de mortes por Covid-19 no Brasil e os novos caminhos para a educação
Clique e Assine

O próximo nome será escrutinado com mais cuidado pelo Planalto, que não chegou a fazer as sondagens mais criteriosas sobre o currículo de Decotelli.

Continua após a publicidade

Desde a tarde desta segunda o Planalto passou a recolher nomes de candidatos ao comando do MEC. As fontes ouvidas pelo Radar dizem que a disputa entre a ala radical e o campo moderado do governo voltou a pegar fogo nas últimas horas.

O perfil com maior probabilidade de ser escolhido por Bolsonaro continua sendo técnico e distante da escolinha de Olavo de Carvalho.

Publicidade