Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Decisão sobre 5G ‘não será somente técnica’, diz Braga Netto

‘Posso garantir que a discussão não será somente técnica. Entra o lado político’, afirmou o chefe da Casa Civil nesta terça

Por Robson Bonin Atualizado em 16 jun 2020, 12h34 - Publicado em 16 jun 2020, 12h30

Chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto participa nesta manhã de uma live com a presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro, Angela Costa.

Na conversa, ele foi perguntado sobre o processo de escolha do modelo de tecnologia 5G pelo governo. Um representante da entidade questionou se a decisão será “meramente técnica ou levará em conta aspectos geopolíticos”.

Lembrando que o tema é discutido em uma comissão formada pelos ministérios da Economia, o GSI, o Itamaraty e o Ministério da Ciência e Tecnologia e, claro, a Casa Civil, disse Braga Netto: “Já tivemos a primeira reunião sobre o 5G. Participam da reunião diversos ministérios. Posso garantir que a discussão não será somente técnica. Entra o lado político, a avaliação… Exatamente nesse pós-pandemia, isso não é um posicionamento nosso, é um posicionamento no mundo inteiro. O mundo inteiro está repensando essas parcerias e tudo mais. Não posso aprofundar muito esse assunto, mas eu garanto, já tem diretrizes do próprio presidente sobre o assunto, mas não é exclusivamente técnico”.

As redes 5G prometem velocidades 20 vezes maiores do que o modelo 4G e devem permitir que mais usuários trafeguem simultaneamente com qualidade.

No Brasil, o leilão para escolha da tecnologia a ser adotada acabou envolvido na guerra comercial entre China e Estados Unidos, que disputam o serviço.

A China promete investimentos bilionários ao Brasil, em troca da escolha do seu modelo. Já os Estados Unidos ameaçam retaliar os planos de Bolsonaro na OCDE e em outras frentes, caso o modelo norte-americano seja preterido.

Ao admitir que a decisão será política, o chefe da Casa Civil mostra que o Planalto está dedicado a analisar os dois lados da questão levando em consideração a nova realidade imposta pela pandemia.

Não há como prever o caminho do governo, mas todos sabem em que termos de fidelidade se dá a relação de Bolsonaro e Donald Trump. Além disso, Eduardo Bolsonaro e os irmãos Weintraub, que estão no governo, atacaram diretamente a China desde que a pandemia começou.

Continua após a publicidade
Publicidade