Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Decisão do Paraguai complica combate ao contrabando de cigarros

Senado do país rejeitou aumento de imposto

Por Da Redação Atualizado em 20 Maio 2019, 20h31 - Publicado em 20 Maio 2019, 14h01

O Senado do Paraguai rejeitou na quinta, 16, projeto que aumentava de 18% para 30% o imposto sobre cigarros produzidos no país.

A decisão complica ainda mais o combate ao contrabando, já que mantém muito baixo o preço do produto.

Contrabandistas compram pelo equivalente a 1,50 real o maço que, no Brasil, é revendido por 2,50 reais, metade do preço mínimo dos cigarros fabricados por aqui.

O país vizinho não ratificou um protocolo de eliminação do comércio ilícito de tabaco, que prevê o aumento da taxação como forma de desestimular o hábito de fumar.

Segundo o Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial, no ano passado o Paraguai produziu 62 bilhões de cigarros, mas consumiu ou exportou legalmente apenas 3,6 bilhões.

O resto foi para outros países de maneira clandestina. 

(por Fernando Molica)

Continua após a publicidade
Publicidade