Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Gabriel Mascarenhas (interino) Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Damares é criticada nas redes por condenar assassinato de homem negro

Ministra disse que imagens que mostram crime ocorrido em Porto Alegre são 'chocantes e causam indignação e revolta'

Por Mariana Muniz Atualizado em 20 nov 2020, 12h57 - Publicado em 20 nov 2020, 14h30

Diante da repercussão gerada pela notícia de um homem negro espancado até a morte em Porto Alegre, a ministra Damares Alves se manifestou, condenando o crime ocorrido às vésperas do Dia da Consciência Negra. 

A vida de mais um brasileiro foi brutalmente ceifada no estacionamento de um supermercado, no Rio Grande do Sul. As imagens são chocantes e nos causaram indignação e revolta”, escreveu a titular da pasta da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos no Twitter. 

Mas a indignação de Damares, incrivelmente, lhe rendeu críticas por parte de seus seguidores — que a acusaram, entre outras coisas, de estar “comprando o discurso do racismo” e “cair na armadilha para tirar o foco da roubalheira das eleições”.

Até o momento, a ministra foi a única integrante do governo Bolsonaro a falar sobre o crime.

João Alberto Silveira Freitas tinha 40 anos e estava em uma loja do supermercado Carrefour, onde se desentendeu com uma funcionária. Os dois suspeitos da agressão, um segurança do local e um policial militar, foram presos em flagrante. 

Continua após a publicidade
Publicidade