Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Gabriel Mascarenhas (interino) Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Pasta de Damares diz que procuradora expôs pessoas ameaçadas no Rio

Nem mesmo o governo sabe a identidade das testemunhas, mas sabe-se que a maior parte delas é protegida contra ameaças das milícias

Por Robson Bonin Atualizado em 12 set 2019, 09h23 - Publicado em 12 set 2019, 07h01

O ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, chefiado por Damares Alves, decidiu acionar a procuradora dos Direitos do Cidadão, Débora Duprat, no Conselho Nacional do Ministério Público.

Em maio, Duprat mandou divulgar no site da Procuradoria-Geral da República uma recomendação sobre o pedido de prestação de contas de uma entidade responsável pela proteção a testemunhas no Rio.

No afã de acossar o ministério de Damares, Duprat acabou divulgando o nome e o endereço da entidade, o que, para o governo, acabou colocando as testemunhas lá abrigadas em situação de risco.

Nem mesmo Damares sabe a identidade das testemunhas, mas sabe-se que a maior parte delas é protegida contra ameaças da milícia carioca.

Continua após a publicidade
Publicidade