Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Cunha vê mais longe

Há na Câmara quem tenha visto na conversa de Eduardo Cunha com Gilmar Mendes sobre o impeachment de Dilma – aquela que Mendes diz ter havido, mas que Cunha nega – mais do que uma mera análise de conjuntura. Se o TSE cassar a chapa Dilma-Temer e convocar novas eleições, Cunha assume a presidência da […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 00h56 - Publicado em 15 jul 2015, 11h23
Cunha: se TSE cassar Dilma e Temer, ele toma posse

Se TSE cassar Dilma e Temer, Cunha toma posse

Há na Câmara quem tenha visto na conversa de Eduardo Cunha com Gilmar Mendes sobre o impeachment de Dilma – aquela que Mendes diz ter havido, mas que Cunha nega – mais do que uma mera análise de conjuntura.

Se o TSE cassar a chapa Dilma-Temer e convocar novas eleições, Cunha assume a presidência da República por 90 dias.

Neste período, Cunha, encrencadíssimo na Lava-Jato, seria não só o chefe da Polícia Federal mas também, caso tudo aconteça entre e agosto e setembro, o responsável por escolher o procurador-geral da República dos próximos dois anos.

Teria a faca e o queijo na mão para se vingar de Rodrigo Janot.

Continua após a publicidade

Publicidade