Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

‘CSI à brasileira’: estados ganham Laboratório de Genética Forense

Investimento feito pelo Ministério da Justiça foi de R$ 35 milhões em todo o Brasil

Por Mariana Muniz - Atualizado em 27 nov 2019, 16h20 - Publicado em 27 nov 2019, 15h20

A partir desta quinta-feira todos os estados brasileiros contarão com o auxílio de um Laboratório de Genética Forense para a elucidação de crimes de forma mais ágil e segura através do DNA. É que a única unidade da federação que ainda não havia sido contemplada era Sergipe, cujo laboratório será inaugurado amanhã.

O investimento feito pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) em equipamentos, insumos, ações de capacitação e desenvolvimento de sistemas foi de R$ 35 milhões em todo o Brasil.

A meta do governo federal é ligar o Brasil à Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos (RIBPG) até o fim do ano, e cada unidade da federação é responsável por coletar amostras de DNA.

Segundo o ministério, o esforço conjunto do executivo federal e dos estados na coleta de perfis genéticos de criminosos auxiliaram mais de mil investigações criminais.

Continua após a publicidade

Uma das identificações mais emblemáticas foi a do responsável pela morte de Rachel Genofre. A menina de nove anos foi estuprada e assassinada em Curitiba (PR) e o caso estava há onze anos sem solução, mas, por meio da coleta de DNA de presos no estado de São Paulo – foi possível localizar o criminoso.

Publicidade