Clique e assine com 88% de desconto
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Crise da água suja? Cedae tem marajás com salários de até R$ 68 mil reais

Governo de Wilson Witzel tenta demitir servidores com super-salários, mas esbarra em barreiras legais

Por Robson Bonin - Atualizado em 17 jan 2020, 11h31 - Publicado em 17 jan 2020, 10h31

No centro dessa crise da água suja que jorra das torneiras das casas no Rio, a Cedae tem um grupo de servidores que certamente anda feliz independentemente da qualidade da água.

Essa turma recebe salários de marajá na estatal que vão de 32.000 reais a 68.000 reais, como mostra uma planilha da empresa repassada ao Radar.

O governador Wilson Witzel já tentou demitir os abonados, mas esbarrou em questões sindicais que impedem a limpa — por ora.

Os salários dos “marajás”; Radar omitiu nomes e localização dos cargos por questão de segurança Reprodução/VEJA
Publicidade