Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia e Mariana Muniz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Crescimento de Joaquim Barbosa empurra Márcio França para encruzilhada

Sinuca de bico

Por Gabriel Mascarenhas 18 abr 2018, 08h34

Governador de São Paulo, Márcio França (PSB) confidenciou a interlocutores que o crescimento de Joaquim Barbosa nas pesquisas pode colocá-lo numa encruzilhada.

Isso porque Barbosa tem potencial para se tornar mais competitivo do que Geraldo Alckmin (PSDB) na corrida ao Planalto.

Ele sabe que se o tucano, seu padrinho político, não decolar nas pesquisas, precisará tirar da cartola uma explicação para abandonar o amigo. E migrar para o palanque de Barbosa.

Não será simples. França é um dos críticos mais ferrenhos de João Doria, seu rival na disputa pelo Palácio dos Bandeirantes.

Com frequência, ele bate na tecla de que Doria foi desleal em duas situações: com Alckmin, quando se colocou como postulante à presidência, e com o povo paulistano, ao renunciar à prefeitura da capital.

Mais dia menos dia, França corre o risco de precisar justificar por que, a exemplo do seu adversário, resolveu deixar Alckmin para trás.

 

Continua após a publicidade
Publicidade