Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

CPI aposta no ‘efeito Palocci’ para conter noticiário contra Lava-Jato

Revelações do ex-ministro podem reavivar no imaginário nacional os pecados petistas; Palocci falará no dia 2 de julho

Por Robson Bonin - 24 jun 2019, 12h55

A ala pró-Lava-Jato da CPI do BNDES aposta no depoimento de Antonio Palocci para conseguir mudar a pauta do noticiário, hoje tomada pelos vazamentos do Telegram contra Sergio Moro e Deltan Dallagnol.

A leitura é que a fala do ex-ministro petista poderá relembrar ao país os pecados de Lula e sua turma, baixando a bola dos defensores da soltura do petista e dos ataques à Lava-Jato.

Se nada sair do roteiro, aliás, Palocci vai depor na CPI do BNDES no dia 2 de julho.

Leia mais em: Lula recebia pacotes de 40, 50 000…

Publicidade