Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Corretora reclama de ‘calote’ de sócio de Jorge Paulo Lemann

Sobrinha de Joelsey, Fabrine Batista, foi arrolada como testemunha de Marcel Hermann Telles em caso de venda de apartamento de luxo

Por Pedro Carvalho - Atualizado em 26 abr 2019, 15h44 - Publicado em 26 abr 2019, 07h36

Sócio de Jorge Paulo Lemann na 3G Capital, Marcel Herrmann Telles, envolveu-se num grande imbróglio imobiliário.

Fabrine Batista, sobrinha de Joesley Batista, e seu marido, o empresário Daniel Ascenção, compraram de Telles uma luxuosa cobertura na região dos Jardins, avaliada em cerca de 40 milhões de reais. No entanto, a empresa MBras, que havia trabalhado na venda do apartamento a pedido do antigo proprietário, alega não ter visto um tostão da corretagem.

Quando o negócio da venda do apartamento começou a ganhar corpo, Telles e a sobrinha de Joesley passaram a negociar diretamente entre si, lançando a MBras para escanteio.

O caso foi parar na Justiça. A sobrinha de Joesley, o marido, os representantes do ex-dono da cobertura, e até a ex-mulher de Telles, Bianka Von Hoegaerden (que também era titular de outro apartamento no prédio também comercializado pela MBras) foram convocados como testemunhas para uma audiência de instrução no Fórum Central de São Paulo na próxima terça (30/4).

Publicidade

A MBras cobra 3 milhões de reais de Telles pela corretagem da cobertura, onde o casal mora desde junho de 2016.

(ATUALIZAÇÃO: a assessoria da JBS entrou em contato com a coluna para informar que Fabrine não é alvo da ação e foi apenas arrolada como testemunha de Marcel Hermann Telles).

Publicidade