Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Corregedora do MPF dá 24 horas para procurador decidir caso Sara Winter

Como o Radar mostrou há duas semanas, é forte a pressão dentro da PGR para que influencer seja presa por ameaçar o ministro Alexandre de Moraes

Por Robson Bonin Atualizado em 11 jun 2020, 17h12 - Publicado em 11 jun 2020, 17h09

Corregedora-geral do MPF, Elizeta Ramos notificou o procurador Frederick Lustosa, da Procuradoria da República no DF, para que apresente, em 24 horas, as providências que pretende adotar no caso da influencer Sara Winter, que ameaçou o ministro Alexandre de Moraes depois de ser alvo de uma operação da Polícia Federal no inquérito das fake news.

Como o Radar revelou há duas semanas, o caso foi repassado pela PGR ao DF porque Sara não tem foro privilegiado e desde então está nas mãos do procurador sem andamento conhecido. A pressão dos investigadores da PGR é forte para que Sara Winter seja presa preventivamente após ter ameaçado Moraes.

A pressão sobre Lustosa, no caso de Sara Winter, aumentou no MPF após o ministro Edson Fachin ter deixado evidente no seu voto o apoio ao inquérito das fake news ante a omissão da PGR e da Polícia Federal em investigar ataques ao STF.

“O artigo 43 do regimento interno é, sem dúvida alguma, regra excepcional, que confere ao Judiciário, diante da omissão dos órgãos de controle, função atípica na seara da investigação, de modo que a fim de preservar preceitos fundamentais”, disse Fachin.

Continua após a publicidade
Publicidade