Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Coronavírus deve complicar a vida dos endividados clubes brasileiros

Por outro lado, ficou mais mais vantajoso vender jogadores no mercado internacional

Por Robson Bonin 10 mar 2020, 11h22

Os estragos provocados pelo coronavírus na economia global chegarão ao mundo da bola, tornando 2020 um ano duro para os clubes brasileiros.

Advogado especializado em direito desportivo, Eduardo Carlezzo diz que a emergência global exigirá estratégia no gerenciamento das equipes.

Se, por um lado, ficou muito mais vantajoso aos clubes vender o jogador no mercado internacional e, ao jogador, receber em moeda estrangeira, por outro, contratar jogadores provenientes de clubes estrangeiros que recebem em moeda estrangeira e que querem manter patamar similar no Brasil tornou-se muito mais difícil e caro.

Há ainda um impacto nas dívidas de alguns clubes, que podem ter uma parte dolarizada. Especialmente no tocante a alguns clubes que compraram jogadores no exterior, deixaram de pagar, sofreram ações na FIFA e durante este ano serão obrigados a pagá-las.

Dependendo da data da contratação desses atletas, a inadimplência pode vir a custar caro, pois o dólar em 12 meses valorizou-se cerca de 20% e há 2 anos atrás estava na casa dos R$ 3,20.

Continua após a publicidade
Publicidade