Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Consumo de energia cresce 1,5% e setor ensaia volta a níveis pré-pandemia

Dados da primeira quinzena de julho mostram que empresas de energia preveem aumentos gradativos ao longo dos próximos meses

Por Laísa Dall'Agnol Atualizado em 27 jul 2021, 11h23 - Publicado em 27 jul 2021, 18h30

O consumo de energia elétrica no Brasil iniciou o segundo semestre com alta de 1,5% em relação ao mesmo período de 2020.

Na primeira quinzena de julho, foram 59.706 megawatts médios consumidos no Sistema Interligado Nacional.

Os dados preliminares são da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, que aponta que essa foi a menor taxa de crescimento do ano. Em relação à primeira quinzena de julho de 2019, o aumento foi de 1,2%.

“Em abril e maio, tivemos forte alta do consumo em relação aos mesmos meses do ano passado, mas o número foi impulsionado pela base muito atípica de 2020. Agora, retomamos um ritmo de crescimento mais próximo do que é a média histórica do setor e devemos continuar observando aumentos gradativos ao longo do segundo semestre”, diz Rui Altieri, presidente do Conselho de Administração da CCEE.

Assim como ocorreu em meses anteriores, o mercado livre foi o principal motivador dos aumentos registrados na primeira quinzena de julho.

O segmento, no qual grandes consumidores podem negociar sua energia diretamente com geradoras ou comercializadoras, registrou alta de 13,3% na comparação com o ano passado.

Enquanto isso, o mercado regulado, em que a comercialização de energia ocorre por meio das distribuidoras, observou uma retração de 4,1%.

Continua após a publicidade
Publicidade