Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Consultoria lista setores que mais sofrerão com recuperações judiciais

Presidente da Corporate Consulting, Luís Alberto de Paiva, prevê 1.500 pedidos de recuperação judicial apenas em junho

Por Robson Bonin - Atualizado em 12 jun 2020, 19h06 - Publicado em 12 jun 2020, 16h21

Segundo o economista e presidente da Corporate Consulting, Luís Alberto de Paiva, os setores aéreo, turismo, hoteleiro, entretenimento, móveis, construção civil, comércio, shoppings, veículos e caminhões irão requerer o maior número de pedidos de recuperação judicial e falência.

Diferente das estimativas do mercado de 3.000 requerimentos, o executivo prevê que mais de 1.000 empresas entrem com pedidos de recuperação judicial em junho.

“A expectativa é que mais de 1 mil empresas tenham suas atividades paralisadas sem condições de enfrentar o novo normal. E mais de 1 mil negócios buscando confronto judicial e composição de alongamento de passivos”, completa o especialista.

Ele conclui: “Os pedidos caíram em abril, pois o Judiciário estava paralisado. A segunda quinzena de maio registrou aumento. Entre um e dois anos será registrado recorde de falências na história do país”.

Continua após a publicidade

A Corporate Consulting é responsável pela reestruturação empresarial e gestão de crises de mais de 400 organizações de diferentes segmentos do país.

Publicidade