Clique e assine a partir de 8,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Como Bolsonaro iludiu pastores evangélicos com vaga no STF

Malafaia e outros evangélicos esbravejaram, mas o presidente deu de ombros: quem tem centrão tem tudo

Por Robson Bonin - 2 out 2020, 09h15

Os pastores evangélicos que, juntos, arrebanham 60 milhões de fieis país afora foram levados na conversa por Jair Bolsonaro nessa discussão da vaga de Celso de Mello no STF.

Bolsonaro prometeu um nome terrivelmente evangélico para a mais Alta Corte do país. Os pastores perderam tempo, queimaram milhas de viagem até o Planalto numa disputa interna para ver quem indicava o nome.

Figuras ligadas aos pastores gastaram retórica nas redes para bajular o presidente, elevando sua popularidade, para, no fim, serem apresentados ao desembargador Kássio Nunes, indicado do centrão de Ciro Nogueira e abençoado por Flávio Bolsonaro.

Sim, o Zero Um é o maior dos padrinhos de Nunes. E os pastores acreditando na conversa de Bolsonaro. Vem daí a fúria de Silas Malafaia nas redes. Nesta quinta, o pastor postou pelo menos sete vezes contra a escolha do presidente. Bolsonaro deu de ombros. Malafaia já não mete medo no Planalto. Quem tem centrão tem tudo.

Continua após a publicidade
Publicidade