Clique e assine a partir de 8,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Comandante do Exército se precipitou sobre futuro de Mourão

Falou demais, sem combinar com quem manda de verdade: o ministro

Por Gabriel Mascarenhas - Atualizado em 22 set 2017, 13h45 - Publicado em 22 set 2017, 12h27

O comandante-geral do Exército, General Eduardo Villas Bôas, tentou explicar uma quebra de hierarquia e quase cometeu o mesmo erro sobre o qual tratava.

No “Programa do Bial”, gravado na terça-feira, ele falou sobre a trágica frase do Coronel Antonio Hamilton Mourão, que defendeu uma intervenção militar no Brasil.

Villas Bôas disse, na ocasião, que a questão do colega estava resolvida. Falou demais, sem combinar com seu superior.

Só ontem à noite, portanto, 48 horas após a entrevista, é que Raul Jungmann se reuniu com Villas Bôas para decidir o futuro de Mourão.

Para a sorte do homem forte do Exército, não houve punição ao coronel. Caso contrário, Villas Bôas teria sido desmoralizado.

 

Continua após a publicidade
Publicidade