Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Collor diz ter evitado hiperinflação que ajudou a causar

Não é bem assim...

Por Pedro Carvalho 8 fev 2018, 09h33

O Senado voltou aos trabalho após longo recesso. O primeiro discurso no Plenário foi de Fernando Collor (PTC-AL) e já reservou uma pérola.

Lá pelas tantas, ao reafirmar que será candidato à Presidência, disse que evitou, em “curtíssimo prazo”, o estouro da hiperinflação enquanto presidente.

Não é bem assim. Na realidade, o frustrado “Plano Collor”, que incluiu o confisco das poupanças, jogou o país diretamente no que ele diz ter evitado.

Resultado do abobalhado plano: em 1990, a inflação alcançou incríveis 1.620% no acumulado dos 12 meses. No ano seguinte recuou para 472%, voltando a passar dos 1.000% em 1992.

Em 1993, a situação atingiu índices ainda mais alarmantes e os preços voltaram a disparar: hiperinflação de 2.477%.

Agora, mais de 20 anos depois, Collor alega ter evitado a decadência da economia…

 

Continua após a publicidade

Publicidade