Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

CNJ abre procedimento para investigar juiz do caso Mariana Ferrer

Corregedora, ministra Maria Thereza de Assis Moura pediu informações ao Tribunal de Justiça de Santa Catarina

Por Mariana Muniz Atualizado em 3 nov 2020, 18h00 - Publicado em 3 nov 2020, 17h37

A Corregedoria Nacional de Justiça abriu procedimento disciplinar para apurar a conduta do juiz Rudson Marcos, do Tribunal de Justiça do Estado de Santa Catarina, na condução de audiência em processo criminal movido pelo Ministério Público daquele Estado contra o empresário André de Camargo Aranha — acusado da prática de suposto crime de estupro de vulnerável.

No processo, a corregedora nacional de Justiça, ministra Maria Thereza de Assis Moura, pediu informações sobre a existência de eventual apuração sobre o mesmo fato junto à Corregedoria-Geral do Tribunal de Justiça do estado.

A reclamação foi aberta após pedido do conselheiro Henrique Ávila. Ainda nesta terça-feira, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) também acionou o CNJ pedindo a apuração da conduta do magistrado.

No documento, o senador diz que a postura do juiz, ao presidir a audiência, é “inaceitável” por permitir que “o advogado de defesa dirigisse à vítima do potencial crime toda sorte de acusações contra a sua honra e dignidade, humilhando-a de modo imperdoável”. 

“Permitir que um advogado se dirija a uma senhorita de pouco mais de vinte anos para atentar de modo covarde contra a sua honra e a sua dignidade é absolutamente inaceitável”, aponta. 

Continua após a publicidade
Publicidade