Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Chico Buarque: embaixada de Portugal está há dois meses no vácuo

Ofício com pedido de assinatura de Bolsonaro no diploma Prêmio Camões, destinado ao compositor, foi enviado em 5 de setembro ao governo

Por Evandro Éboli - Atualizado em 5 nov 2019, 18h40 - Publicado em 5 nov 2019, 17h40

A embaixada de Portugal continua no aguardo do presidente Bolsonaro assinar as três vias do diploma da concessão do Prêmio Camões 2019, por sua obra literária.

Completa hoje dois meses que a embaixada de Portugal enviou a papelada para o Itamaraty, que o repassou ao ministro Osmar Terra, a quem está subordinado a área de cultura.

E lá, nos escaninhos de Terra, permanece até hoje. Com a assinatura do presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, como revelou Radar em setembro. Chico já disse que a não assinatura do presidente é um segundo Camões que ele recebe.

Abaixo, a Nota Verbal, um documento diplomático anexado ao envelope do documento principal, enviada pelos portugueses.

Publicidade

Um trecho diz: “a embaixada de Portugal solicita os bons ofícios do ministério no sentido de o presente diploma ser assinado por Sua Excelência o Presidente da República do Brasil para posterior devolução às autoridades portuguesas”.

///VEJA

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade