Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Chefe da Lava-Jato em SP rebate Bolsonaro sobre PF ouvir porteiro

Procuradora diz que presidente não tem poderes para determinar diligências

Por Mariana Muniz Atualizado em 30 out 2019, 11h12 - Publicado em 30 out 2019, 08h48

A procuradora da República Janice Ascari, chefe da Lava-Jato no MPF de São Paulo, afirmou nesta quarta-feira que o presidente da República não pode determinar a realização de diligências para investigações criminais.

“O Presidente da República não tem poderes para determinar à Polícia ou ao MP (que é o único destinatário do inquérito policial) a realização de diligências para a condução de uma investigação criminal”, afirmou a procuradora em sua conta no Twitter.

Mais cedo nesta quarta, Bolsonaro disse que iria acionar o ministro da Justiça, Sérgio Moro, para que a Polícia Federal ouça o porteiro que associou o nome dele às investigações sobre a morte de Marielle Franco.

Publicidade