Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Celso de Mello: bolsonarismo quer ‘abjeta ditadura militar’ no Brasil

Relator do inquérito contra Bolsonaro, decano fez comentário sobre evolução dos ataques antidemocráticos de apoiadores estimulados pelo governo

Por Robson Bonin - 31 Maio 2020, 18h48

Um comentário do decano do STF, ministro Celso de Mello, sobre o avanço de movimentos bolsonaristas rumo a um golpe militar, semelhante ao dado por Hitler na Alemanha, deve oferecer mais munição a Jair Bolsoanro e seus seguidores nas próximas semanas.

A narrativa presidencial para tentar deslegitimar as investigações do Supremo, há semanas, tem sido a suposta parcialidade dos ministros em relação ao Bolsonaro. É fato que o barulho pró-golpe vem crescendo, mas é fato também que as instituições estão atuando dentro da normalidade, com investigações em andamento e operações em curso.

Tirando o grito, a teatralidade, o golpismo bolsonarista morre no minguado número de apoiadores. Na mensagem enviada a outros colegas da Corte, admitida pela assessoria de Mello como de “cunho exclusivamente pessoal”, o decano diz o seguinte:

“Guardadas as devidas proporções, o “Ovo da Serpente”, à semelhança do que ocorreu na República de Weimar (1919-1933), parece estar prestes a eclodir no Brasil! É preciso resistir À DESTRUIÇÃO DA ORDEM DEMOCRÁTICA, PARA EVITAR O QUE OCORREU NA REPÚBLICA DE WEIMAR QUANDO HITLER, após eleito por voto popular e posteriormente nomeado pelo Presidente Paul von Hindenburg, em 30/01/1933, COMO CHANCELER (Primeiro Ministro) DA ALEMANHA (“REICHSKANZLER”), NÃO HESITOU EM ROMPER E EM NULIFICAR A PROGRESSISTA, DEMOCRÁTICA E INOVADORA CONSTITUIÇÃO DE WEIMAR, de 11/08/1919, impondo ao País um sistema totalitário de poder viabilizado pela edição, em março de 1933, da LEI (nazista) DE CONCESSÃO DE PLENOS PODERES (ou LEI HABILITANTE) que lhe permitiu legislar SEM a intervenção do Parlamento germânico! “INTERVENÇÃO MILITAR”, como pretendida por bolsonaristas e outras lideranças autocráticas que desprezam a liberdade e odeiam a democracia, NADA MAIS SIGNIFICA, na NOVILÍNGUA bolsonarista, SENÃO A INSTAURAÇÃO, no Brasil, DE UMA DESPREZÍVEL E ABJETA DITADURA MILITAR!!!!”

Continua após a publicidade
Publicidade